• logo.png

Agentes da Paz

lideranca lava pes“- Deixo com vocês a paz. É a minha paz que eu lhes dou; não lhes dou a paz como o mundo a dá. Não fiquem aflitos, nem tenham medo.” ||Português: Nova Tradução na Linguagem de Hoje||João||14||27 (João 14.27)

Tenho assistido algumas cenas, acompanhado algumas posturas, visto alguns comentários e testemunhado algumas situações que estão me assustando, não pela sua existência em si, mas pela sua ocorrência e banalização no meio do “povo de Deus”. Cresce em nosso país um discurso de ódio, que ficou muito evidente nas eleições de 2014 e que se potencializou após os resultados das mesmas. São atitudes que beiram a irracionalidade e que não poderiam acontecer em hipótese alguma em um país minimamente desenvolvido.

A diversidade de opiniões, que deveria ser saudável numa democracia, tornou-se uma ofensa e até um pecado imperdoável. E para minha tristeza e decepção, percebo que muitos cristãos estão trilhando por esse caminho, municiados pelos lobos ferozes e famintos, trasvestidos de pastores, que destilam ódio nos meios de comunicação com o objetivo exclusivamente econômico e comercial.

Onde estão os cristãos que fazem a diferença? Como estamos agindo? Será que estamos pagando o mal com o mal? Estamos substituindo sentimentos nobres, como o amor, o respeito, o companheirismo, por esse discurso de ódio tão amplamente disseminado nos nossos dias? Precisamos olhar para nós e nos enxergarmos como agente da PAZ DO SENHOR (Shalom), não apenas da velha saudação banalizada, mas agentes que tem como tarefa agir de forma diferente da que o mundo está agindo. 

As pessoas são infinitamente mais importantes do que as suas opiniões, principalmente as pessoas com quem nós convivemos e amamos, não pode haver inversão desses elementos. Precisamos aprender com um cristão do século XIII que orou, baseado no texto acima, da seguinte forma: “Senhor, fazei-me instrumento de vossa paz. Onde houver ódio, que eu leve o amor; Onde houver ofensa, que eu leve o perdão; Onde houver discórdia, que eu leve a união”.

Que Deus nos ajude a sermos cristãos genuínos e a sermos igreja verdadeiramente cristã!

Rev. Erivan Júnior

Pastor da Igreja