• logo.png

Vivendo o amor de Deus

diversidade

Se alguém diz: "Eu amo a Deus", mas odeia oseuirmão, é mentiroso. Pois ninguém podeamar a Deus, a quem não vê, se não amar o seu irmão, a quem vê.. (Êxodo 14.15)

Os dias que estamos vivendo estão desenhando um prognóstico assustador, uma onda de ódio tem dominado as pessoas e as tem deixado tão cegas que perdem a razão e sepultam nesse jazigo de ódio todo o amor próprio da fé cristã. Isso nos faz lembrar a profecia: “Nessa época muitos vão abandonar a sua fé e vão trair e odiar uns aos outros. Então muitos falsos profetas aparecerão e enganarão muita gente. A maldade vai se espalhar tanto, que o amor de muitos esfriará” (Mateus 24.10-12), e nos vem a clara convicção de que isso está se cumprindo.

Por outro lado, tem um povo que foi chamado por Jesus para fazer a diferença, para amar! Sim, amar é se entregar, amar é mesmo quando ultrajado retribuir com amor. Amar é não tratar o outro com diferença por causa das diferenças, sejam elas quais forem.

O nosso mestre nos ensinou exatamente isso. Quando foi condenado e crucificado, seguindo a lei e o processo da época, mesmo sem ter cometido crime algum. Escolheram um inimigo e inventaram um crime. Mas ele já em meio às terríveis dores da cruz, pede pelos seus algozes. Isso é amor!

Se somos cristãos verdadeiro, precisamos mergulhar nesse amor, viver experiências de amor. Não podemos seguir a lógica desse mundo nunca!

Durante esse ano vamos refletir sobre nossa maneira de viver esse amor em meio a tanto ódio, na Igreja, na família, na fé e na sociedade. Precisamos lembrar de que apesar da profecia, Mateus 24.12 diz: “mas quem ficar firme até o fim será salvo.”

Somos o povo que permanecerá firme até o fim? Ou nos curvaremos a essa onda de ódio dos nossos dias?

 Rev. Erivan Júnior