• alogo.png
  • contatos.jpg
  • dlogo.png
  • horarios2.jpg

Ser Discípulo

Assim, pois, todo aquele que dentre vós não renuncia a tudo quanto tem não pode ser meu discípulo.”  Lucas 14.33

Ide, portanto, fazei discípulos de todas as nações, batizando-os em nome do Pai, e do Filho, e do Espírito Santo;” 

Mateus 28.19

seguir a cristo

Muito se fala sobre o crescimento dos evangélicos no Brasil, do crescimento dos conglomerados empresariais de igreja neopentecostais e no empoderamento político desse seguimento da sociedade. Percebemos cada vez mais acirrada a briga por clientes em um “mercado da fé”. Diante disso tudo uma pergunta precisa ser feita por aqueles que querem servir ao Senhor genuinamente: -“O que estou fazendo se sou cristão?” ou ainda: “o que é ser cristão?”

Muitas vezes nos deparamos com uma série de afirmações a respeito da fé evangélica, assistimos a criação de estereótipos de como é um cristão nos dias de hoje, o que faz, como se posiciona, que bandeiras defende e por ai vai... Mas, nenhum desses estereótipos encontram honestas bases nas escrituras e no exemplo do próprio Cristo.

O que então, nos dizem as escrituras sobre sermos um cristão autêntico? Os dois versículos acima nos dizem com clareza. Um cristão precisa renunciar! Sim, não dá pra ser cristão e querer seguir os valores desse mundo capitalista de só acumular e ter. A vida em comunidade e a prática terapêutica do dízimo são exercícios diários dessa renúncia. Mas, infelizmente quando olhamos para a atual massa evangélica, percebemos que não existe renúncia, pelo contrário, se busca ter sempre mais. Ter a razão, ter a verdade, ter a melhor visão, ter a voz ouvida, ter a superioridade, ter o lugar de destaque, a lista é longa. E para complicar mais ainda, a desvirtuação do dízimo, que para a teologia corrente é uma forma de obrigar Deus a fazer; ou pior, para alguns é uma forma de impor a sua vontade sob a ameaça de não mais devolvê-lo ou “mudar de igreja”.

Mas a outra característica é a obediência a ordem de ir e fazer discípulo. Lembro de uma vez quando um professor perguntou na sala da EBD quem já havia trazido alguém para Jesus, o silêncio foi assustador. Fazer discípulos é um imperativo, mas para fazer discípulo de Jesus, se é necessário ser discípulo de Jesus. Precisamos imitar Jesus, renunciando sempre, para que assim possamos fazer discípulos que também imitam a Jesus. Essa é a característica de um verdadeiro cristão.