• alogo.png
  • contatos.jpg
  • dlogo.png
  • ecultosh.jpg

Reforma, pra quê?

John Calvin

 “(...)deixem que Deus os transforme por meio de uma completa mudança da mente de vocês. Assim vocês conhecerão a vontade de Deus, isto é, aquilo que é bom, perfeito e agradável a ele.” (Atos 1.8).

 No próximo dia 31 de outubro comemoraremos os 503 anos da Reforma Protestante. É importante entendermos o que foi esse movimento e quais as implicações que ele trouxe para a fé bem como para o mundo como um todo.

É fundamental que saibamos que a Reforma foi um movimento e que não foi apenas o ato de Lutero fixar as 99 teses na porta da Catedral de Wittenberg. E como movimento, a Reforma teve pessoas e idéias que a lastrearam, dando assim a base para o movimento ganhar corpo através da ação de Lutero, Calvino, Zuinglio dentre outros tantos. Além do lastro, a Reforma construiu um grande legado, que como seus herdeiros precisamos sempre ter em mente:

O legado do conhecimento. A Reforma libertou o mundo civilizado do jugo da Santa Sé que impunha seus dogmas como verdades absolutas e que quaisquer descoberta ou questionamento científico era prontamente combatido das formas mais perversas possíveis. A ciência deve sua liberdade para pesquisa, pensamento e descobertas á Reforma protestante.

O legado econômico e social. A Reforma encontrou um terreno fértil no seu início, graças a opressão econômica que não apenas a população comum enfrentava mas também os governos a partir da Santa Sé, que tinha a “primazia e a legitimidade” para explorar os povo e seus reis em nome de “deus”. 

Mas o principal legado que precisamos conhecer e celebrar é o legado espiritual. A igreja tinha se perdido com seus casamentos políticos, e a Reforma reconduziu a Igreja de volta às Escrituras, de volta á fé, de volta ao senhorio exclusivo de Jesus.

A bíblia na língua do povo, o desligamento da submissão papal e a negação veemente das indulgencias foram o combustível para surgir um novo movimento religioso que buscava através das Escrituras Sagradas reaproximar todos os seres humanos pela fé ao Senhor Jesus, o único Senhor e Salvador da Igreja.

Somos frutos diretos desse movimento. Como Igreja Presbiteriana descendemos desse desejo de homens e mulheres de nos reaproximar do Senhor e da sua vontade revelada nas Escrituras Sagradas. Que esse momento histórico reascenda em cada coração da nossa Igreja os mesmos ideais dos reformadores: Somente a fé, somente a Graça, Somente Jesus, somente ás Escrituras e somente a Deus toda a Glória!

Rev. Erivan Júnior