• logo.png
  • Marcadorfamiliapastoral.jpg

Conteúdo Fixo

Agentes da Paz

lideranca lava pes“- Deixo com vocês a paz. É a minha paz que eu lhes dou; não lhes dou a paz como o mundo a dá. Não fiquem aflitos, nem tenham medo.” ||Português: Nova Tradução na Linguagem de Hoje||João||14||27 (João 14.27)

Tenho assistido algumas cenas, acompanhado algumas posturas, visto alguns comentários e testemunhado algumas situações que estão me assustando, não pela sua existência em si, mas pela sua ocorrência e banalização no meio do “povo de Deus”. Cresce em nosso país um discurso de ódio, que ficou muito evidente nas eleições de 2014 e que se potencializou após os resultados das mesmas. São atitudes que beiram a irracionalidade e que não poderiam acontecer em hipótese alguma em um país minimamente desenvolvido.

A diversidade de opiniões, que deveria ser saudável numa democracia, tornou-se uma ofensa e até um pecado imperdoável. E para minha tristeza e decepção, percebo que muitos cristãos estão trilhando por esse caminho, municiados pelos lobos ferozes e famintos, trasvestidos de pastores, que destilam ódio nos meios de comunicação com o objetivo exclusivamente econômico e comercial.

Onde estão os cristãos que fazem a diferença? Como estamos agindo? Será que estamos pagando o mal com o mal? Estamos substituindo sentimentos nobres, como o amor, o respeito, o companheirismo, por esse discurso de ódio tão amplamente disseminado nos nossos dias? Precisamos olhar para nós e nos enxergarmos como agente da PAZ DO SENHOR (Shalom), não apenas da velha saudação banalizada, mas agentes que tem como tarefa agir de forma diferente da que o mundo está agindo. 

As pessoas são infinitamente mais importantes do que as suas opiniões, principalmente as pessoas com quem nós convivemos e amamos, não pode haver inversão desses elementos. Precisamos aprender com um cristão do século XIII que orou, baseado no texto acima, da seguinte forma: “Senhor, fazei-me instrumento de vossa paz. Onde houver ódio, que eu leve o amor; Onde houver ofensa, que eu leve o perdão; Onde houver discórdia, que eu leve a união”.

Que Deus nos ajude a sermos cristãos genuínos e a sermos igreja verdadeiramente cristã!

Rev. Erivan Júnior

Pastor da Igreja

Mais amor, menos ódio!

“Mas eu lhes digo: não se vinguem dos que fazem mal a vocês. Se alguém lhe der um tapa na cara, vire o outro lado para ele bater também. Se alguém processar você para tomar a sua túnica, deixe que leve também a capa. Se um dos soldados estrangeiros forçá-lo a carregar uma carga um quilômetro, carregue-a dois quilômetros. Se alguém lhe pedir alguma coisa, dê; e, se alguém lhe pedir emprestado, empreste. - Vocês ouviram o que foi dito: "Ame os seus amigos e odeie os seus inimigos." Mas eu lhes digo: amem os seus inimigos e orem pelos que perseguem vocês” (Mateus 5.39-41a).

igreja Tenho assistido preocupado o crescente aumento da intolerância no nosso país. Ninguém aceita mais ninguém, o ódio é estampado nos comentários, nas posturas e, principalmente, na repulsa ao outro. E para piorar ainda mais a situação, alguns se revestindo de porta-vozes da igreja evangélica entram nessa guerra do ódio usando as mesmas armas e estratégias que os rivais, postura essa que contraria todo o espírito das Escrituras Sagradas e do amor de Deus que foi revelado em Jesus.

Hoje, tenho vergonha de me identificar como pastor evangélico, e, às vezes, até como evangélico, pois a imagem que está sendo construída ao nosso respeito é de fato muito ruim, e em nada expressa a nossa nova natureza e muito menos a nossa fé.

Aconteceu na 1ª IPI do Rio de Janeiro!