Conteúdo Fixo

Assembleia Extraordinária Virtual

No ultimo dia 20 de setembro de 2020 a 1ª IPI do Rio de Janeiro realizou uma Assembleia Extraordinária 100% virtual ( com o Sistema urnaElectios). Com um sistema de votação seguro e inviolável, 90% dos seus membros participaram da escolha de seus oficiais: 02 Presbíteros e 05 diáconos.
Após o culto dominical e sendo transmitida pelo Zoom os membros receberam um link para votação e participaram, às 13h foi encerrado o processo de votação e promulgado o resultado em que foram reeleitos para o Presbiterato os irmãos Delcy Júnior e Paulo Roberto (Paulinho) e para o Diaconato foram reeleitos os irmãos Caio Ferreira, Lucas Gabriel e Josias Câmara e eleitos os irmãos Thomaz Campos e Alberto Netto.
Queremos em nome do Conselho parabenizar todos os eleitos e cada um dos membros pela excelente participação.
Que Deus conduza esse Conselho, o MASD e toda a nossa amada Igreja!

FRIO? QUE NADA, SOU DO CALOR!

02 5ef0e2ea2e773

Eu sei o que vocês têm feito. Sei que não são nem frios nem quentes. Como gostaria que fossem uma coisa ou outra! Mas, porque são apenas mornos, nem frios nem quentes, vou logo vomitá-los da minha boca. Vocês dizem: ‘Somos ricos, estamos bem de vida e temos tudo o que precisamos.’ Mas não sabem que são miseráveis, infelizes, pobres, nus e cegos.(Apocalipse 3.15-17)

Uma onda de frio avançou sobre o Brasil nos últimos dias. O inverno que não tinha dado as caras resolveu aparecer, e os nossos casacos saíram do armário, nem que tenha sido apenas para um passeio breve. Não apenas o cenário a nossa volta mudou, mas as pessoas a nossa volta também mudaram, das vestimentas à alimentação, o frio mudou o contexto.

Esse episódio me lembra o que foi profetizado por Jesus: “Então muitos falsos profetas aparecerão e enganarão muita gente. A maldade vai se espalhar tanto, que o amor de muitos esfriará; mas quem ficar firme até o fim será salvo”. (Mateus 24.11-13) Quando o povo iludido por falsos messias, passa a defender a maldade como prática comum e esquece dos princípios mais elementares de humanidade que é o respeito e a tolerância, percebemos a palavra se cuprindo. Tal como o frio que está se espalhando por quase toda a nação, essa outra onda de desumanidade e de falta de amor também se espalhou por todo o mundo.

Essa é a razão de tantas tragédias, de tanta maldade e de tantos problemas como temos presenciado em nossos dias. Entretanto, há um povo que precisa ser diferente! Há um povo que foi alcançado com amor e é convidado a reproduzir esse amor na vida de outras pessoas, mesmo com tantas forças impulsionando a fazer diferente, a fazer como todos estão fazendo. O amor de Jesus nos alcançou e somos desafiados, por ele mesmo, a reproduzir isso em diferentes escalas com aqueles que estão próximos de nós.

A parábola do empregado mau nos ensina exatamente isso: “Aí o patrão chamou aquele empregado e disse: “Empregado miserável! Você me pediu, e por isso eu perdoei tudo o que você me devia. Portanto, você deveria ter pena do seu companheiro, como eu tive pena de você.” (Mateus 18.32-33) É esse o calor que o mundo espera de nós: somos humanos, somos imitadores de Jesus e não podemos ter receio de fazer diferente. Sejamos calorosos em meio a tanta frieza!                 

E precisa de Reforma?

“Pois não me envergonho do evangelho, porque é o poder de Deus para a salvação de todo aquele que crê, primeiro do judeu e também do grego; visto que a justiça de Deus se revela no evangelho, de fé em fé, como está escrito: O justo viverá por fé.” (Romanos 1.16-17)

 protestante

Outubro é um mês muito importante para nós protestantes, nele celebramos a Reforma Protestante, movimento que teve seu auge com Martinho Lutero e as suas 95 teses.

A Reforma Protestante foi um movimento de transformação religiosa que impactou o mundo na forma de pensar, na economia, na política, mas impactou principalmente a fé das pessoas, livrando-as de um julgo imposto pela igreja estatal que as impedia de enxergarem a verdade do Evangelho.

Lutero não apenas leu “O Justo Viverá pela fé”, mas essa verdade o libertou dos grilhões atormentadores do pecado que ele tentava à sua forma combater. Lutero compreendeu que a Igreja estava caminhando cega e que precisa urgente de uma reforma, um retorno às Escrituras, à luz do evangelho e à autoridade de Cristo como Senhor da Igreja.

A Reforma foi uma porta pela qual a Igreja passou no caminho de volta à vontade de Deus. Esse retorno é muito mais do que a exclusão de alguns costumes e práticas ritualísticas dos momentos cúlticos, mas implica uma grande transformação na forma de relacionamento com Deus. É como se o véu do templo que se rasgou após a morte de Jesus na cruz tivesse sido (com muito esforço humano) recosturado e agora, a Reforma desfaz essa costura humana, levando-nos de volta ao plano e à vontade de Deus.

Que nesses dias em que relembramos a Reforma Protestante, movimento percussor da nossa forma de expressar a fé, possamos olhar para dentro de nós mesmos e refletirmos sobre nosso compromisso com o Deus revelado nas Escrituras, na forma como vivemos os valores desse Deus com o nosso comportamento, nos nossos relacionamentos, nas nossas escolhas e principalmente com a nossa fé.

Que Deus continue se revelando e reformando seu povo!

Não estamos sozinhos!

Depois o Senhor disse: - Não é bom que o homem viva sozinho. Vou fazer para ele alguém que o ajude como se fosse a sua outra metade”. Gn 2.18

“É melhor haver dois do que um, porque duas pessoas trabalhando juntas podem ganhar muito mais.” Ec 4.9

As redes sociais estão empilhadas de pessoas, nos nossos perfis temos milhares de “amigos”, uma infinidade de pessoas curte, compartilha, critica e responde questões levantadas ali. Mas dentre tantos com quem podemos contar?

Hoje em uma conta minha no Facebook tenho 2.266 “amigos” e no Whatsapp tenho 1032 contatos ativos. Questionamentos que sempre me faço: Com solidaoqual destes contatos eu posso contar? Pra quem eu posso ligar agora, hora que estou escrevendo esse texto, e falar das minhas dificuldades, desabafar sobre a vida, conversar sobre coisas sérias e também triviais? Confesso que esse exercício me assusta, pois a resposta a essa pergunta é assoladora.

Esse é o quadro do nosso tempo, as pessoas gastam muito tempo com redes sociais, se preocupam muito com a opinião dos outros, mas no fundo a grande maioria não está de fato preocupada com ninguém.

Em busca da aprovação no mundo virtual, as pessoas abandonam aqueles que de fato se preocupam com seus amigos: a família e a Igreja. E esse abandono tem empurrado multidões para o isolamento e a solidão. Pessoas largam a família, pessoas abandonam suas igrejas e passam a viver sozinhas, sem familiares ou amigos por perto para ajudar numa hora de necessidade.

Temos falado que Deus não nos fez para vivermos sozinhos, desde Adão, Deus resolveu fazer do ser humano uma comunidade instituindo a família, mais tarde ele chama pessoas para formar um povo, uma nação, sua igreja.

Não podemos nos isolar, não podemos fazer das telas nosso lugar de realização e amizades. Deus nos deu uma família, Deus nos deu uma Igreja, amemos, valorizemos e vivamos!.