Conteúdo Fixo

Não estamos sozinhos!

Depois o Senhor disse: - Não é bom que o homem viva sozinho. Vou fazer para ele alguém que o ajude como se fosse a sua outra metade”. Gn 2.18

“É melhor haver dois do que um, porque duas pessoas trabalhando juntas podem ganhar muito mais.” Ec 4.9

As redes sociais estão empilhadas de pessoas, nos nossos perfis temos milhares de “amigos”, uma infinidade de pessoas curte, compartilha, critica e responde questões levantadas ali. Mas dentre tantos com quem podemos contar?

Hoje em uma conta minha no Facebook tenho 2.266 “amigos” e no Whatsapp tenho 1032 contatos ativos. Questionamentos que sempre me faço: Com solidaoqual destes contatos eu posso contar? Pra quem eu posso ligar agora, hora que estou escrevendo esse texto, e falar das minhas dificuldades, desabafar sobre a vida, conversar sobre coisas sérias e também triviais? Confesso que esse exercício me assusta, pois a resposta a essa pergunta é assoladora.

Esse é o quadro do nosso tempo, as pessoas gastam muito tempo com redes sociais, se preocupam muito com a opinião dos outros, mas no fundo a grande maioria não está de fato preocupada com ninguém.

Em busca da aprovação no mundo virtual, as pessoas abandonam aqueles que de fato se preocupam com seus amigos: a família e a Igreja. E esse abandono tem empurrado multidões para o isolamento e a solidão. Pessoas largam a família, pessoas abandonam suas igrejas e passam a viver sozinhas, sem familiares ou amigos por perto para ajudar numa hora de necessidade.

Temos falado que Deus não nos fez para vivermos sozinhos, desde Adão, Deus resolveu fazer do ser humano uma comunidade instituindo a família, mais tarde ele chama pessoas para formar um povo, uma nação, sua igreja.

Não podemos nos isolar, não podemos fazer das telas nosso lugar de realização e amizades. Deus nos deu uma família, Deus nos deu uma Igreja, amemos, valorizemos e vivamos!.

Eu amo!

Eu amo!

"Que o amor de vocês não seja fingido. Odeiem o mal e sigam o que é bom. Amem uns aos outros com o amor de irmãos em Cristo e se esforcem para tratar uns aos outros com respeito. No que depender de vocês, façam todo o possível para viver em paz com todas as pessoas.”Romanos 12.9,10 e 12

Ultimamente as notícias e comentários sobre a igreja destoam em muito dessas instruções que o Apóstolo Paulo nos deixou, por isso, nesse tempo de celebração, nada mais apropriado do que pensarmos nessas instruções que foram e precisam continuar sendo todo o diferencial do povo de Deus.

Em um mundo que transpira ódio, somos convocados a ser o povo que ama:abraco

Deus. O primeiro e grande desafio é amar a Deus. O próprio Jesus estabeleceu o amor a Deus como o primeiro mandamento. O amor a Deus é a base para outras experiências de amor com toda a criação, se não amamos o Criador de tudo e de todos não teremos condições de amar as outras pessoas. O amor a Deus é a imagem que o nosso “espelho reflete”, o nosso trato com as outras pessoas é o raio-X do nosso amor a Deus.

Pessoas. O segundo mandamento de Jesus é amar o próximo como se fosse a nós mesmos. O Ap. Paulo fala do amor de irmãos e do esforço para se tratar com respeito também de irmãos. Nesse ponto, temos visto muitos escorregando, se julga muito, se maltrata demais, se fere com palavra de forma contumaz. O respeito as pessoas deve ser buscado com todas as nossas forças, ninguém tem o direito de desrespeitar o outro, por mais que tenha todas as discordâncias possíveis. Nesse sentido, a Igreja é chamada a caminhar na contramão do sentimento nacional, andar em amor e respeito.

Comunidade/Igreja. Claro que de forma ainda mais intensa, devemos amar nossa igreja. Nela fomos e somos diariamente treinados e conduzidos a presença de Deus. Em igrejas democráticas como a nossa é bem mais fácil aparecer controvérsias e pontos de discordância na caminhada, mas nada disso pode sufocar o amor que temos pela nossa igreja.

É tempo de amarmos, a Deus, as pessoas a nossa volta e a nossa Igreja, a comunidade que Deus escolheu para nós!

   Rev. Erivan Jr

Sem Máscaras

"Por isso, também me esforço por ter sempre consciência pura diante de Deus e dos homens.”Atos 24.16

O carnaval está chegando e a nossa cidade se prepara para esses dias de festa caracterizada pelo uso de máscaras, consumos de bebidas e drogas, vulgarização do sexo, e culto a deuses pagãos das mais variadas origens. É também um tempo onde as pessoas preparam fantasias, e usam máscaras para se esconderem e assim liberar os instintos mais escondidos.

O carnaval é a festa pagã mais celebrada no nosso país, entretanto seus efeitos não ficam nos dias reservados à festa, mas se espalham pela vida do nosso povo, influenciando até mesmo os filhos de Deus.

Nesse domingo que antecede o carnaval, queremos relembrar o principio bíblico de sermos transparentes diante de Deus e dos homens. Sim, não temos o que esconder. Os nossos pensamentos, os nossos sentimentos, as nossas posturas e escolhas não podem ser escondidas por trás de uma máscara, mesmo que essa máscara seja uma máscara de santidade.

mascaras
        Somos desafiados a sermos transparentes o tempo inteiro. E esse desafio também não é tão simples assim. Eu já conheci pessoas extremamente grosseiras, estúpidas e sem nenhum tato com as outras pessoas, e quando eram confrontadas sobre essa posturas alegavam a “sinceridade”. Ora, não podemos usar máscaras, não podemos viver aquilo que não somos, mas tudo que somos precisa passar pelo crivo de Cristo. Ele é o nosso senhor, e nós precisamos nos moldar todos os dias para parecer com Ele, transformando os nossos sentimentos, sacrificando o nosso eu e alimentando empatia pelas outras pessoas.

Não precisamos de máscaras! Somos filhos e filhas de Deus que vivem a verdade do evangelho e externam isso aqueles que estão ao nosso lado. Por isso, somos desafiados constantemente a sermos pessoas amáveis, simpáticas e acolhedoras, assim vamos vivendo o estilo de vida que o Senhor quer pra nós, e “tendo a simpatia de todo o povo. E o Senhor acrescentará diariamente os que hão sendo salvos”.

Que Deus nos faça homens e mulheres transparentes e simpáticos!!!!!                                                            

Gratidão

"E, quando um deles, que era samaritano, viu que estava curado, voltou louvando a Deus em voz alta. Ajoelhou-se aos pés de Jesus e lhe agradeceu. Jesus disse: - Os homens que foram curados eram dez. Onde estão os outros nove?" Lucas 17.15-17

Nossa memória tem um defeito terrível de esquecer as coisas boas e lembrarmos as coisas ruins. Isso se aplica tanto nas coisas corriqueiras como na nossa caminhada de fé.

Não é incomum observamos pessoas que durante um tempo andaram com Deus e depois se afastam e ignoram tudo que um dia vivenciaram; e ainda amigos que vivenciaram muitas coisas e depois se afastam por algo que aconteceu esquecendo-se de tudo que viveram.

agradecimento a deus 1Infelizmente, isso também é mais comum do que parece no relacionamento das pessoas com a igreja. Pessoas muitas vezes chegam do mundo cheias de “carrapichos” e exalando o aroma do pecado. A igreja em sua simplicidade cuida, trata, perfuma com o aroma de Cristo, encaminha no conhecimento da verdade, investe em talentos, ajuda na construção e crescimento da família, caminha junto nas horas mais difíceis, e basta que aconteça algo diferente, ou simplesmente algo que os contrariem pessoalmente, que todos os sentimentos mudam. Já vi igrejas e líderes serem tratados como inimigos, por pessoas antes envolvidas e companheiras, além de ações das mais vis para perturbar a paz, desviar, desmotivar ou tirar membros da comunidade que um dia os acolheu com tanto carinho.

O texto acima fala da cura de dez leprosos. Apenas um teve o coração grato a Deus, enquanto os outros nove, mesmo sem a lepra na pele, continuaram com a lepra no coração. Eles tinham negócios para retomar, eles tinham contas a acertar, eles tinham famílias para reencontrar. Nove foram curados da lepra da pele, e continuaram com a lepra da alma. Apenas um foi completamente curado. Ele largou tudo e voltou com um coração grato, e somente assim ele pode ouvir as santas palavras de Jesus: - Você foi curado por causa da sua fé!

Que nesses dias que antecedem as celebrações do aniversário da nossa amada igreja, tenhamos a Deus um coração grato pela nossa comunidade, por tudo que Deus fez em nós através dela, sejamos como aquele que voltou para agradecer e dar louvor a Deus!

2019 JÁ COMEÇOU?

Portanto, prestem atenção na sua maneira de viver. Não vivam como os ignorantes, mas como os sábios. Os dias em que vivemos são maus; por isso aproveitem bem todas as oportunidades que vocês têm. Não ajam como pessoas sem juízo, mas procurem entender o que o Senhor quer que vocês façam.” Efésios 5.15-17

O ano já iniciou a todo vapor, os compromissos não dão tréguas, as responsabilidades já nos chamam.

É certo que esse é um período de férias escolares e por esse motivo as famílias aproveitam para juntos descansarem, viajarem ou mesmo fazer algo que focou pendente dos anos anteriores. Por outro lado, há um pensamento comum em nossa cidade, que as coisas só retomam seu curso depois do Carnaval, mas que para nós, que não somos guiados pelas festas populares, não tem sentido e não pode ser verdade.

O nosso tempo é sagrado!

pessoatempoNo texto acima o Apóstolo Paulo nos traz três ensinamentos:

Precisamos prestar atenção como estamos vivendo. O que estamos fazendo da nossa vida? Como estamos vivendo? Estamos aproveitando a vida pessoalmente? E o Serviço ao Senhor? A vida de devoção? Somos exortados a pensar nas nossas escolhas. Não podemos desperdiçar as oportunidades de servir a Cristo e vivenciarmos o seu Reino.

Os dias são maus. Quando fixamos os olhos nas situações à nossa volta perdemos o foco do reino de Deus e vivemos a maldade que e tão fartamente propagada em nossos dias.

Precisamos aproveitar todas as oportunidades, para viver com alegria, para viver a Cristo, para gozar da presença e do cuidado dele ainda no presente tempo. Não podemos perder tempo com o que é desta era, precisamos olhar para o nosso Salvador e aprender a desfrutá-lo aqui e agora.

Escolha bem, aproveite o seu tempo, que Deus abençoe sua vida !

Qual tem sido a sua pregação?

 

“Ninguém despreze a tua mocidade; pelo contrário, torna-te padrão dos fiéis, na palavra, no procedimento, no amor, na fé, na pureza.” 1 Timóteo 4.12

Ainda no mesmo sentido do texto acima, quero citar uma célebre frase de São Francisco de Assis: “Pregue o Evangelho em todo o tempo, se necessário, use palavras.”

caridade
O Cristianismo, diferentemente da maioria das religiões, não é uma religião apenas cognitiva, ele só é autêntico se permear a vida das pessoas mudando a forma de viver, de pensar, se relacionar, dando outras prioridades, outros valores e alicerçando-se no coração de forma a jamais ser abalado.

Nesse sentido, o Apóstolo Paulo escreve ao jovem pastor Timóteo o conselho acima, aquele rapaz como todos os jovens tinha uma série de desafios e tentações, mas resolveu se dedicar ao ministério para o qual Deus o havia chamado.

Lembro-me do meu início de ministério, aos 21 anos de idade, com todos os olhos voltados para mim. Muitos esperando um tropeço, outros desconfiados que aquela euforia não iria longe e outros (bem poucos, confesso) preocupados e dispostos a me ajudar a desenvolver no ministério. No entanto, umas das primeiras decisões que tomei naquela época foi seguir o conselho de Paulo, sendo exemplo no procedimento, claro que cometi muitos erros, mas a preocupação de ser um exemplo me fez evitar uma infinitude deles.

Quando pensamos na nossa vida como comunidade cristã, precisamos sempre pensar no compromisso que temos com os demais, com os mais novos principalmente (seja por idade no caso dos filhos, sejam na fé no caso dos recém-convertidos) de sermos exemplo pra eles.

Precisamos pensar em como anda o nosso exemplo no procedimento, seja na nossa vida social, mas também na nossa vida de fé. E nesse sentido precisamos pensar que valor nós damos a vida em comunidade, que importância damos a reunião do povo de Deus para render-lhe culto, ao estudo das escrituras, à vida de oração e ao amor pela causa do Reino.

Pensemos nisso, em nosso procedimento cristão. Qual tem sido a nossa pregação? O que temos ensinado aos que estão a nossa volta?                                                              

Rev. Erivan Jr